2012 – o ano da #ruptura!

Por Daniel Froes

Iniciar um texto dedicando boas festas e um ótimo 2012 a todos que acompanharam nosso trabalho durante os últimos quatro meses poderia ser bastante simples – bastaria copiarmos um desses votos que chegam a nossa caixa de e-mail nesta época, postarmos por aqui e pronto. Mas, não, inspirados por #ideiasperigosas, resolvemos quebrar a corrente e enveredar por outro caminho, menos sombrio do que possa parecer, acreditem. 

Afinal, parece que 2012 será nosso último ano por estas bandas, não é mesmo? Pelo menos, é o que garante o calendário de conta longa Maia. Após inúmeras #conversasinfinitas, os maias concluíram que a festa por aqui tem data certa para terminar: 21 de dezembro de 2012 – sem direito a “biquinho” de quero mais. É justo elaborarmos votos diferentes, ainda que trazidos a galope por um dos cavaleiros apocalípticos do Todo-Poderoso – sim, é um risco que corremos, de acordo com os escritos bíblicos! Mas de que mundo falava esse fantástico povo pré-colombiano? Será o mundo físico que nos rodeia, que sentimos e vemos? Não, o apocalipse que está por vir não é físico; é comportamental! Longe disso, o mundo que sucumbirá é o mundo do individualismo material e de outras atitudes que já não cabem mais no século 21 – o #séculodasredes, das pessoas #glocais, do #pós-rancor, da #pós-universidade, da #internetpratodos, do #empirismo, dos #coletivos, da #transparênciapública, das #marchas, do #respeitoàdiversidade, do #pós-partido… Em 2012, a juventude dará seguimento a esse processo de resignificação e explosão de estruturas arcaicas iniciado há seis anos “fora do eixo”. Os longos anos de letargia em que estivemos mergulhados estão se esgotando.

Como diria Cláudio Prado, teórico da contracultura e ativista digital, a quem damos as mãos, o Planeta está “grávido” de outro mundo: sim, a data de seu nascimento pode ser o tal 21 de dezembro de 2012.  Por este lado, a catástrofe parece não ser absolutamente ruim, não é mesmo?! É até excitante! O novo está por vir e isso é motivo de felicidade; não de lágrimas. Entretanto, mais do que assistir, passivamente, ao fim deste mundo, devemos ser os próprios agentes de sua destruição. Através do caos, estabeleceremos uma nova ordem, mais horizontal e “parda”. Devemos nos preparar para 2012 – o ano da #ruptura! Sem dúvida, uma nova realidade ganhará forma, cor e poesia. Prepare-se. Boas festas, feliz ano novo e um delicioso fim do mundo! =)



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s